No DRIGnário você vai encontrar de maneira bem simples o significado de alguns termos que estão sendo mais usados por aí. Ele será atualizado com frequência e a ideia é que não sejam explicações exaustivas de nenhum conceito. É Pá Pum: conceito, explicação curtinha e você já sai entendendo o que é. Tem alguma sugestão de termo para o DRIGnário? Escreva pra DRIG e envie sua dúvida!

VUCA é um acrônimo que descreve 4 características importantes do mundo em que estamos vivendo: Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade.

O termo tem sido utilizado recentemente no ambiente corporativo, mas surgiu no ambiente militar. Na década de 90, o U.S. Army War College utilizou essa sigla para explicar o mundo no contexto pós Guerra Fria.

Nesse cenário o grande desafio das empresas é ter previsibilidade do futuro. Portanto, o diferencial competitivo deixa de ser a capacidade de projetar cenários de longo prazo e passa a ser ter agilidade para responder às mudanças de rota, ajustando rapidamente o curso do planejamento organizacional.

O OKR é uma metodologia de gestão que foi criada pelo ex-CEO da Intel Andrew Grove e tem como objetivo simplificar a forma de encarar os chamados “objectives and key results”, ou seja, os objetivos principais de uma empresa.

Pode ter certeza de que o método funciona, já que é usado no Google desde 1999.

A empresa, que na época tinha apenas 40 pessoas, hoje conta com mais de 60 mil dos melhores profissionais do mundo, espalhados por diversos lugares do globo.

Isso prova, também, que o OKR pode ser implementado tanto em pequenas e médias empresas quanto em corporações multinacionais com a mesma eficiência e transparência.

A metodologia ágil de desenvolvimento de software, ou Agile, surgiu e ganhou muita força nos últimos anos devido à necessidade do mercado em atender às demandas dos clientes e seus projetos de maneira mais dinâmica, flexível e com maior produtividade.

O desenvolvimento ágil utiliza uma abordagem de planejamento incremental e muito iterativa. Dessa forma, diferentemente do método tradicional em que a princípio se define e se documenta detalhadamente todas as fases do início ao fim do projeto, no método ágil isso é feito em pequenas partes, também chamadas iterações.

Cada iteração é um mini-projeto, que normalmente dura de 1 a 4 semanas, e inclui todas as fases para implementá-lo como levantamento de recursos e requisitos, projeto, desenvolvimento de código, testes e documentação. Ao final de cada iteração deve haver uma entrega ao cliente, que inclua um conjunto de novas funcionalidades, uma nova versão de software. Após essa entrega há um novo processo de comunicação com o cliente e então são definidas quais deverão ser as novas entregas.

É a sigla para Net Promoter Score: uma metodologia criada em 2003 pela Bain & Company, para mensurar o quão bem as empresas estão lidando com seus clientes ou pessoas com as quais interage. O NPS pode inclusive ser um dos seus indicadores de desempenho (KPI) de médio-longo prazo, sendo utilizado para implementar e acompanhar melhorias. Não é algo que resolverá seus problemas do dia para a noite, mas que te dará um panorama geral dos pontos fortes e fracos do seu negócio.

Deve ser usado para medir a satisfação de um público específico – quem a empresa já se relaciona e com quem quer melhorar seu relacionamento. Dependendo do intuito, podem ser clientes ou até funcionários da empresa, por exemplo.

De forma simplificada, a avaliação é baseada em duas perguntas:

1) A parte quantitativa, sempre medida em uma escala de 0 a 10: “O quanto você nos recomendaria (ou recomendaria algum produto) para um amigo?”

2) Parte qualitativa: “Por que você deu esta nota?”

A primeira informação que deve ficar clara sobre DESIGN THINKING é que não é uma metodologia, e sim uma abordagem. Isso porque, quando pensamos em método, criamos a expectativa de ter às mãos uma fórmula matemática que se aplique indistintamente em qualquer situação. Não é o caso.

É uma abordagem que busca a solução de problemas de forma coletiva e colaborativa, em uma perspectiva de empatia máxima com seus stakeholders (interessados): as pessoas são colocadas no centro de desenvolvimento do produto – não somente o consumidor final, mas todos os envolvidos na ideia (trabalhos em equipes multidisciplinares são comuns nesse conceito).

O processo consiste em tentar mapear e mesclar a experiência cultural, a visão de mundo e os processos inseridos na vida dos indivíduos, no intuito de obter uma visão mais completa na solução de problemas e, dessa forma, melhor identificar as barreiras e gerar alternativas viáveis para transpô-las. Não parte de premissas matemáticas, parte do levantamento das reais necessidades de seu consumidor; trata-se de uma abordagem preponderantemente “humana” e que pode ser usada em qualquer área de negócio.

A razão de sua existência é a satisfação do cliente (interno ou externo), dádiva que só pode ser alcançada quando conhecemos em profundidade suas necessidades, desejos e percepções de mundo.

Bot, diminutivo de robot, também conhecido como Internet bot ou web robot, é uma aplicação de software concebido para simular ações humanas repetidas vezes de maneira padrão, da mesma forma como faria um robô. No contexto dos programas de computador, pode ser um utilitário que desempenha tarefas rotineiras ou, num jogo de computador, um adversário com recurso a inteligência artificial. Bots também podem ser considerados ilegais dependendo do seu uso, como por exemplo, fazer diversas ações com intuito de disseminar spam ou de aumentar visualizações de um site. O seu uso mais frequente, entretanto, está no Web crawler, em que um scriptrealiza buscas automáticas, analisa informações de arquivos e servidores em uma velocidade extremamente alta, muito superior à capacidade humana. Além desses usos, o bot pode ser implementado em sites em que há comunicação com o usuário, como sites de jogos ou simplesmente onde é necessária comunicação semelhante à humana. O uso mais recente de Internet bots foca-se na publicidade, como o Google Adsense, que exibe a propaganda mais adequada a cada pessoa dependendo de seu comportamento na Internet.

A Inteligência Artificial (IA ou AI - artificial inteligence) refere-se a sistemas ou máquinas que imitam a inteligência humana para executar tarefas e podem se aprimorar iterativamente com base nas informações que coletam. A IA se manifesta de várias formas. Alguns exemplos são:

  • Os chatbots usam a IA para entender os problemas dos clientes mais rapidamente e fornecer respostas mais eficientes

  • Os assistentes inteligentes usam a IA para analisar informações críticas de grandes conjuntos de dados de texto livre para melhorar a programação

  • Os mecanismos de recomendação podem fornecer recomendações automatizadas para programas de TV com base nos hábitos de visualização dos usuários

A IA está mais relacionada ao processo e a capacidade de pensamento superpoderoso e a análise de dados do que a qualquer formato ou função em particular. Embora a IA traga imagens de robôs parecidos com os homens de alto funcionamento que dominam o mundo, a IA não pretende substituir os seres humanos. Seu objetivo é melhorar significativamente as habilidades e contribuições humanas. Isso faz dela um ativo de negócios muito valioso.

UX (user experience) ou Experiência do Usuário é o estudo comportamental dos usuários, com o objetivo de entregar uma melhor experiência de uso nos produtos sendo eles digitais ou não.

Basicamente? O que nosso usuário quer e o que nosso cliente ou empresa que trabalhamos pode oferecer. Fazemos o match das duas coisas.

 

UI (user interface) ou Interface do Usuário é o trabalho de design de interfaces, se referindo ao desenho, projeto visual com o qual interagimos em aplicativos, sites e sistemas como caixas eletrônicos e softwares de CRM e faz parte do estudo do comportamento do usuário que chamamos de UX.

Aquele layout de aplicativo ou site bonitão que vemos nos portfólios por aí. É feito por esse cara.

Filosofia Lean é uma metodologia de gestão que otimiza custos e reduz o tempo e os desperdícios de uma empresa. Baseada no Lean Thinking, um framework mental que prioriza a utilização dos recursos de maneira eficiente e orientada à potencialização dos resultados e ao envolvimento das equipes em busca da melhoria contínua, essa filosofia propõe uma estratégia de negócios voltada, sobretudo, à satisfação do cliente.

O Lean parte do princípio de que toda iniciativa precisa ser baseada no consumidor final. O propósito é criar valor para este público. Para isso, é preciso que as lideranças, CEOs, especialistas e os times da sua empresa, de variados setores, estejam por dentro dessa sistemática de gestão. O primeiro passo para adoção desse novo modelo acontece quando são encontradas as respostas para as seguintes questões: “Como melhorar o trabalho?”, “Qual é o problema que precisamos resolver?” e “Como desenvolver pessoas?”.

Um pesadelo da vida contemporânea: checar as redes sociais e perceber que todos os seus amigos e conhecidos estão curtindo uma festa e você nem ficou sabendo. Ou então, todos estarem comentando sobre um novo meme que você não tem ideia do que significa.

Esse incômodo por “ficar de fora”, que está totalmente relacionado com o nosso presente superconectado na era da informação, tem nome e significado: FoMO ou “Fear of Missing Out”, que pode ser traduzido como “medo de estar perdendo algo”.

A expressão foi cunhada em 2000 pelo estrategista de marketing norte-americano Dan Herman. Nos anos seguintes, os pesquisadores de Harvard e Oxford, Patrick McGinnis e Andrew Przybylski, respectivamente, definiram o FoMO como um desejo de estar permanentemente conectado com o que os outros estão fazendo.

Nesse contexto de superconectividade, as redes sociais se tornaram o retrato das melhores experiências dos usuários - e não da totalidade das experiências, é sempre bom ressaltar. E junto com as redes, cresce a ansiedade dos usuários que acompanham de fora aquilo que está todo mundo comentando e compartilhando.

OMNICHANNEL ou omnicanal: é uma estratégia de vendas e  comunicação que tem sido usada para melhorar a experiência dos consumidores. Como funciona? Ela é feita entre canais ao invés de vez de funcionar em paralelo, ou seja, os canais de comunicação e seus recursos de suporte são projetados para funcionarem como uma orquestra. E você pode estar se perguntando então qual a diferença que há entre o modelo de negócios omnichannel e o multicanal certo? Basicamente seria que o modelo omnichannel envolve maior integração e sincronização de canais e assim, qualquer experiência de interação com todos os canais se torna mais eficiente e satisfatória do que quando usamos cada canal isoladamente.  

STORYTELLING é uma palavra em inglês, que está relacionada com uma narrativa e significa a capacidade de contar histórias relevantes. Em inglês a expressão "tell a story" significa "contar uma história" e storyteller é um contador de histórias.

Consiste em um método que utiliza palavras ou recursos audiovisuais para transmitir uma história. Esta história pode ser contada de improviso ou pode ser uma história polida e trabalhada. Também é muito usado no contexto da aprendizagem, sendo uma importante forma de transmissão de conteúdo.

É difícil indicar uma data precisa da criação do storytelling, mas é sabido que tem milhares de anos, já que contar histórias sempre foi uma característica do ser humano, mesmo antes de existir a linguagem escrita.